E-mail: tarauaca.net@gmail.com / WhatsApp: 68 99990 5058
Domingo
21 de Janeiro de 2018 - 

Notícias do Mundo:

Previsão do tempo

Hoje - Tarauacá, AC

Máx
32ºC
Min
23ºC
Pancadas de Chuva

Segunda-feira - Tarauacá...

Máx
30ºC
Min
23ºC
Pancadas de Chuva

Hoje - Tarauacá, AC

Máx
32ºC
Min
23ºC
Pancadas de Chuva

Segunda-feira - Tarauacá...

Máx
30ºC
Min
23ºC
Pancadas de Chuva

Hoje - Sena Madureira, AC

Máx
35ºC
Min
23ºC
Pancadas de Chuva

Segunda-feira - Sena Madu...

Máx
32ºC
Min
22ºC
Pancadas de Chuva

Hoje - Rio Branco, AC

Máx
34ºC
Min
24ºC
Pancadas de Chuva

Segunda-feira - Rio Branc...

Máx
34ºC
Min
22ºC
Pancadas de Chuva

Hoje - Feijó, AC

Máx
32ºC
Min
23ºC
Pancadas de Chuva

Segunda-feira - Feijó, A...

Máx
31ºC
Min
23ºC
Pancadas de Chuva

Hoje - Tarauacá, AC

Máx
32ºC
Min
23ºC
Pancadas de Chuva

Segunda-feira - Tarauacá...

Máx
30ºC
Min
23ºC
Pancadas de Chuva

Hoje - Tarauacá, AC

Máx
32ºC
Min
23ºC
Pancadas de Chuva

Segunda-feira - Tarauacá...

Máx
30ºC
Min
23ºC
Pancadas de Chuva

Cotidiano

Boatos e mensagens compartilhadas em Tarauacá, podem gerar dano moral, alerta Advogado.

 
BOATOS E MENSAGENS COMPARTILHADAS EM TARAUACÁ, PODEM GERAR DANO MORAL, ALERTA ADVOGADO.
 
 
Alerta o advogado Max Araújo, do Escritório Araújo Advocacia, instalado em Tarauacá, no Estado do Acre, que a história de que o WhatsApp ou Facebook está doando dinheiro para cirurgias, em decorrência do compartilhamento de fotos de crianças doentes, por exemplo, constitui uma “falsa informação”, ou melhor, “um boato popular, geralmente inserido no imaginário das pessoas de bem, tendentes a ajudar o próximo”.
 
"É importante praticar a caridade e o bem ao próximo, porém, essas mensagens e compartilhamentos, não trazem benefício algum, por parte das empresas" - afirmou o advogado, à reportagem. 
 
A reportagem entrevisou o advogado Dr. Max Araújo, o qual fez um alerta. Disse que a falsa informação circula sempre do mesmo modo: uma foto, geralmente acompanhada de um áudio, é enviada em uma mensagem no aplicativo, para um grupo. Em seguida, o áudio e/ou o texto são reenviados e multiplicam-se na rede social. O conteúdo é sempre o mesmo: o WhatsApp vai doar dinheiro para cirurgia de crianças doentes.
 
Diz o advogado, Dr. Max Araújo, especialista em direito digital, que não há doação de dinheiro por parte dos donos dessas redes sociais. Por isso, tais mensagens não devem ser compartilhadas.
 
Explica que, essas mensagens, disfarçadas de mensagens do bem, ocultam geralmente vírus, ou embriões de ideias ou práticas criminosas.
 
"Interessante acrescentar que também a pessoa que compartilhar a foto pode ser responsabilizada até por uso indevido da imagem, caso a vitima (dona da imagem) se sinta prejudicada e não autorize" - afirmou o advogado Dr. Max Araújo. 
 
Alerta que a exposição e compartilhamento de fotos de crianças ou adultos, para fazer a suposta doação, pode gerar dano moral, se a vítima, cuja imagem foi divulgada, buscar o Poder Judiciário.
 
Esclarece que, no caso do WhatsApp, as mensagens são criptografadas e nem mesmo os administradores do aplicativo conseguiriam contar quantas vezes uma imagem foi compartilhada.
 
Portanto, afirma o advogado, Dr. Max Araújo, que a história que aponta que WhatsApp vai doar dinheiro para crianças doentes é falsa. E sugere que os usuários não compartilhem as imagens ou textos.
 
Explica, ainda, que as "correntes do bem" difundidas pelo serviço de mensagens online WhatsApp podem gerar comoção e convocar à participação imediata, mas, se você não sabe exatamente de quem veio, nem por que veio, não compartilhe.
 
Em primeiro lugar, porque repassar este tipo de conteúdo adiante não transfere dinheiro a ninguém. Em segundo, porque, indo ao extremo da questão, você poderia estar estimulando uma fraude, segundo especialistas em direito digital.
 
Adverte que, “aliás, em muitos grupos que eu mesmo participo, são falsas as correntes de muitas imagens que circulam há tempos nesses grupos de WhatsApp, que convidam o usuário a compartilhar para ajudar financeiramente, dizendo "Esta fofura é cega e cada foto postada no zap ela ganha 10 centavos para fazer uma operação. Vamos lá não custa nada".
 
"Geralmente, a pessoa da foto, criança ou adulto, nunca foi cega ou doente ou deficiente. Aliás, nunca se ouviu um relato ou depoimento de gratidão, proferido por alguém que foi beneficiada pela corrente com o recebimento de dinheiro", questiona o advogado.
 
Afirma o advogado, Dr. Max Araújo, que compartilhar mensagens ou imagens no WhatsApp também não remunera a pessoa supostamente beneficiada pela corrente, porque o WhatsApp não paga ninguém por número de compartilhamentos, conforme sua política empresarial, disponível ao usuário em seu site oficial.
 
Mais adverte: a pessoa que leva esse tipo de conteúdo adiante, mesmo sem sabê-lo, pode até se ver envolvida numa rede com implicações com a Justiça. 
 
 
 
Da Redação tarauaca.net.br
30/12/2017, às 11:30 hs.
Da Amazônia para o Mundo! 
 
 
 
 
 

Boatos e mensagens compartilhadas em Tarauacá, podem gerar dano moral, alerta Advogado

 
 
"Fazer e compartilhar correntes não tem problema algum, desde que não se divulgue conteúdo ilegal", explica o advogado, Dr. Max Araújo. "Porém, sempre que o propósito da corrente for ilícito, a pessoa que compartilhar poderá ser punida também."
 
Especialista em Direito Digital, o advogado Max Araújo, do Escritório Araújo Advocacia, instalado em Tarauacá/Acre, esclarece sobre o assunto. 
 
"Se não é possível reconhecer a veracidade, não compartilhe" - afirma o advogado, Dr. Max Araújo.
 
Para o advogado, Dr. Max Araújo, na hora de decidir se compartilha ou não uma corrente, a pessoa deverá usar o "bom senso", controlando o ímpeto de interatividade. "Sempre que houver alguma dúvida, é melhor não fazê-lo."
 
"Se a pessoa que compartilhou não é conhecida, se a mensagem já veio repassada de outra pessoa, se não é possível reconhecer a veracidade daquilo, não compartilhe".
 
"Às vezes uma corrente, algo despretensioso, pode desencadear reações em redes que derrubam regimes. O cidadão precisa estar consciente do potencial que tem de influenciar".
 
 
COMPARTILHAR DE BOA-FÉ
 
Se for comprovado o dolo (intenção deliberada) da pessoa, isto é, que, mesmo sabendo do conteúdo suspeito, ela disseminou a mensagem, a pena poderá ser até de prisão, afirma o advogado, Dr. Max Araújo.
 
Mas a pessoa que compartilhou por boa-fé, sem saber que se tratava de conteúdo falso, poderá se beneficiar da análise subjetiva do caso, afirma o advogado, Dr. Max Araújo. "Aí se avaliará se a corrente era muito benfeita, se a pessoa que compartilhou tinha baixa escolaridade, por exemplo. Vai se avaliar o que estava por trás da divulgação e a pessoa pode não ser responsabilizada ao fim."
 
As tipificações criminais, segundo os especialistas em direito digital, dependem do conteúdo da mensagem. As mais comuns são estelionato (contra o patrimônio de alguém, incluindo golpes financeiros), calúnia, injúria e difamação (contra a honra de uma pessoa) e divulgação de pornografia infantil.
  
Na esfera criminal, a pessoa que cometeu crime ao compartilhar uma corrente falsa pode ter a pena revertida para uma multa em dinheiro e também há a possibilidade do ressarcimento do dano causado a uma pessoa que doou efetivamente para uma causa falsa.
 
Na esfera civil, o compartilhamento de correntes ilícitas poderá render multas que giram entre R$ 500 e R$ 100 mil, conforme a média de decisões já tomadas. Já na esfera contratual, a sanção poderá ser a suspensão da conta da pessoa do serviço WhatsApp.
 
O QUE DIZ O WHATSAPP
 
Sobre a circulação das correntes, o WhatsApp informou oficialmente, em nota, que "não armazena conteúdo dos usuários e todas as mensagens possuem criptografia de ponta a ponta, não sendo possível a moderação das mensagens dos usuários".
 
A empresa, que pertence ao Facebook desde 2014 e não tem escritório no Brasil (a sede é na Califórnia, nos EUA), ressalta os recursos de segurança disponíveis para os usuários do serviço de mensagens online: "O WhatsApp torna possível para os usuários bloquearem qualquer pessoa com quem não queiram interagir no aplicativo, além de poderem reportar comportamentos abusivos enviando uma mensagem para nós diretamente do aplicativo".
 
O WhatsApp recomenda ainda o acesso ao seu "Centro de Segurança", disponível no site da empresa. "Serve como um guia centralizado de ferramentas e estratégias que as pessoas podem usar para se protegerem. O guia inclui informações em como reportar atividades criminais para o WhatsApp e para autoridades da lei, como bloquear usuários que praticam 'bullying' e assédio, e como reportar spam", explicou, no comunicado.
 
  
MENSAGENS QUE FICAM COM VOCÊ
 
O WhatsApp decidiu que suas mensagens devem estar somente em suas mãos. É por isso que o WhatsApp não guarda suas mensagens após o envio ter sido feito, e além disso, a criptografia de ponta-a-ponta garante que o WhatsApp ou terceiros não poderão visualizá-las.
 
Alguns dos seus momentos mais pessoais são compartilhados através do WhatsApp, e é por isso que o WhatsApp implementou a criptografia de ponta-a-ponta nas últimas versões do aplicativo. Quando criptografadas de ponta-a-ponta, suas mensagens, fotos, vídeos, mensagens de voz, documentos e chamadas estão seguras e não cairão em mãos erradas.
 
A criptografia de ponta-a-ponta do WhatsApp assegura que somente você e a pessoa com a qual você está se comunicando podem ler o que é enviado e ninguém mais, nem mesmo o WhatsApp poderá ler.
 
Por isso, o WhatsApp não remunera pelo envio ou compartilhamento de mensagens/correntes do bem. Não remunera, porque não arquiva e não controla as mensagens dos usuários.
 
No mais, o uso do aplicativo WhatsApp, que é uma empresa do Facebook, é gratuito, ou seja, não há arrecadação de dinheiro, por isso, não há fundos ou capital financeiro específico para remunerar as mensagens/correntes do bem, compartilhadas pelos usuários.
 
Vale lembrar, ainda, que as mensagens são criptografadas com um cadeado único, onde somente você e o destinatário possuem uma chave especial para abrir e ler a mensagem. E para uma proteção ainda maior, cada mensagem que você enviar possui um cadeado e uma chave. 
 
O WhatsApp não calcula e não examina o conteúdo das mensagens enviadas ou recebidas pelos usuários.  Por isso, as mensagens/correntes do bem, infelizmente, não são remuneradas - afirma o advogado, Dr. Max Araújo.
 
 
 
 
Da Redação tarauaca.net.br
30/12/2017, às 11:30 hs.
Da Amazônia para o Mundo! 
Visitante:   9825
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia